Tratamentos para Estrias


 




Não há ainda hoje um tratamento que acabe 100% com as estrias. A resposta ao tratamento varia de cada individuo e também da fase evolutiva em que se encontra a estria.
Então antes de iniciar qualquer tratamento é importante que seja feita uma avaliação, para que possa ser escolhido o melhor tratamento e se obtenha um resultado satisfatório.
 
Microdermoabrasão: Procedimento de fácil realização, seguro e de baixo custo. A técnica consiste na projeção de cristais de óxido de alumínio ou cloreto de sódio, associado a sucção, promovendo abrasão superficial. Os resultados vão depender do número de passadas e da pressão utilizada e do número de sessões de tratamento, que podem ser feitas com intervalo de uma semana ou mais.

Peeling: O peeling químico, também conhecido como quimioesfoliação, consiste na aplicação de um ou mais agentes esfoliantes na pele, resultando na destruição de partes da epiderme e/ou derme, seguida de regeneração dos tecidos epidérmicos e dérmicos. Essas técnicas de aplicação produzem uma lesão programada e controlada com coagulação vascular instantânea, resultando no rejuvenescimento da pele com redução ou desaparecimento das ceratoses e alterações actínicas, discromias pigmentares, rugas e algumas cicatrizes superficiais. A escolha do agente ou da técnica específica a ser usados depende do conhecimento da profundidade da lesão para que se possa escolher um agente que não produza esfoliação desnecessariamente mais profunda do que a própria alteração a ser tratada; pode ser realizado com várias substâncias, isso vai depender de dois fatores importantes: quadro clínico apresentado e fototipo cutâneo.
 
Carboxiterapia: Esta técnica utiliza a injeção subcutânea de dióxido de carbono com o objetivo de promover vasodilatação e consequente aumento de aporte de oxigênio ao tecido.

Luz intensa pulsada (LIP): É uma luz não laser, não coerente, que emite espectro de comprimento de onda variando de 515 a 1200nm, de acordo com os filtros utilizados. Sua fonte emite uma luz policromática de alta intensidade. A LIP age nos vasos sanguíneos, melhorando o eritema das estrias recentes. O espessamento epidérmico e especialmente o dérmico justificam a melhora também das estrias brancas.

Galvanopuntura: A galvanopuntura esta baseada na compilação dos efeitos intrínsecos da corrente contínua (galvânica), que é utilizada por um equipamento em forma de caneta com uma pequena agulha na ponta através da qual promove uma inflamação aguda localizada, sem qualquer efeito sistêmico, mas extremamente eficiente na regeneração do tecido rompido, promovendo por sua contratura, o aumento na produção do colágeno e por sua vez o estreitamento das estrias, assim, tornando-as imperceptíveis.
A inflamação provocada pela corrente não tem nenhum efeito sistêmico, poucos minutos após a aplicação a estria fica edemaciada e hiperêmica (com edema/inflamada), responsável pela vasodilatação e aumento da permeabilidade dos vasos. Toda a zona é preenchida por um exudato (matéria resultante de processo inflamatório) composto de leucócitos, eritrócitos, proteínas plasmáticas e fáscias de fibrina, e o processo de epitelização (processo de união das células) começa simultaneamente e é absorvido em um período de dois a sete dias, o que limita o tratamento a apenas uma aplicação semanal.

Esses são apenas alguns tratamentos encontrados tanto na área médica quanto estética para estrias. Como já disse no começo desse post, antes de iniciar qualquer tratamento é importante fazer uma boa avaliação, saber quais suas contra indicações e conversar com o profissional que vai aplicar o tratamento sobre suas expectativas.


Nenhum comentário :

Postar um comentário