Estrias


As estrias caracterizam-se por um rompimento das fibras elásticas que sustentam a camada intermediária da pele, formada por colágeno e elastina (responsáveis pela sua elasticidade e tonicidade).
 
É uma atrofia tegumentar adquirida, de aspecto linear, algo sinuoso, em estrias de um ou mais milímetros de largura, a princípio avermelhadas, depois esbranquiçadas e abrilhantadas (nacaradas). Raras ou numerosas, dispõem-se paralelamente uma às outras e perpendicularmente às linhas de fenda da pele, indicando um desequilíbrio elástico localizado, caracterizando, portanto, uma lesão da pele. Apresentam um caráter de bilateralidade, isto é, existe uma tendência da estria distribuir-se simetricamente em ambos os lados.
 
As estrias são ditas atróficas pelas características que apresentam, já que atrofia é a diminuição de espessura da pele, decorrente da redução do número e volume de seus elementos e é representada por adelgaçamento, pregueamento, secura, menor elasticidade, rarefação dos pelos.
 

Surgem a partir da adolescência ou durante a gravidez. Não ocorrem em condições normais em pessoas acima de 45 anos, nem tampouco são comuns em pré-púberes. Recentemente, tem se observado o aparecimento de estrias em mulheres mais velhas durante os tratamentos de reposição hormonal. Sua maior prevalência ocorre na faixa etária dos 14 aos 20 anos (55-65% em mulheres e 15-20% em homens). É cerca de três vezes mais frequente no sexo feminino do que no masculino, onde também são mais discretas. Na mulher, as localizações mais predominantes são nádegas, abdome e mamas, enquanto nos homens predominam no dorso, na região lombossacra e parte externa das coxas. Existe, no entanto, uma grande variação na distribuição, bem como no acometimento de outras regiões, como raízes dos membros superiores, axilas e tórax. Pode-se afirmar que as estrias surgem perpendicularmente ao eixo de maior tensão da pele e que acompanham, grosso modo, as linhas de clivagem da pele (linhas de Langer). Tendem à simetria e à bilateralidade.
 
Estão também diretamente relacionadas com a obesidade e, especialmente, com rápido ganho de peso. Estrias também têm sido associadas à prática de fisiculturismo, sendo nestes casos as áreas mais frequentemente acometidas a face anterior dos ombros, porção inferior do dorso e coxas. Com o aumento da utilização de próteses mamárias nos últimos anos, temos observado, em nossa prática diária, o surgimento de estrias por estiramento da pele da mama, já sendo encontrados relatos na literatura.
 

Fonte: Kede e Sabatovich
No inicio, ocorre um processo inflamatório que pode ser intenso, mononuclear e predominantemente perivascular. A derme pode apresentar se edematosa. Recentemente, verificou se que as alterações iniciais se estendem por até 3 cm além da borda da estria, ocorrendo elastólise e degranulação dos mastócitos, seguidas de afluxo de macrófagos em torno das fibras elásticas fragmentadas. Nas fases mais tardias, a epiderme encontra-se atrófica e aplainada, e na derme as fibras elásticas estão bastante alteradas e as colágenas dispõem-se em feixes paralelos à superfície na direção da presumida força de distensão. A patologia é semelhante à de uma cicatriz; no entanto, através da microscopia eletrônica observa-se que os fibroblastos estão praticamente destituídos de organelas de síntese (complexo de Golgi e retículo endoplasmático rugoso), no entanto nas cicatrizes estão bem desenvolvidas.
 



Como prevenir:
 
- O principal cuidado que precisamos ter na prevenção de estrias, refere-se ao hábito de hidratar a pele diariamente. Se você tem uma tendência a ter estrias é necessário que este hábito se transforme em um ritual diário. Utilizar bons cremes com bases hidratantes, ricos em colágeno, elastina, óleos vegetais e outros agentes hidratantes é essencial à saúde da pele e certamente lhe garantirá excelentes resultados.

- Bons hábitos alimentares, garantem ao nosso organismo a capacidade de renovação celular e consequentemente favorece ao surgimento de um tecido mais firme e de maior qualidade que suporte às oscilações de peso, alterações hormonais dificultando desta forma o surgimento de estrias. Uma alimentação de qualidade para prevenção de estrias dever ser composta minimamente de dois compostos. O primeiro deles é o colágeno e o segundo seria a vitamina C. as razões para que a alimentação seja rica em colágeno são mais do que evidentes, pois quando falamos em estrias o colágeno é praticamente um sinônimo. O colágeno garante a nossa pele a elasticidade natural o que não permite o estiramento da mesma e consequentemente não permite a formação das estrias. O colágeno deve ser consumido diariamente (10 gramas ) ao dia, de modo que forneça um aporte necessário ao nosso organismo.

- Em relação a vitamina C, não podemos deixar de falar a respeito dela, tendo em vista que a vitamina C é indispensável para a síntese de fibras colágenas da pele. Para se obter a síntese de colágeno endógeno precisamos incorporar o hábito de ingerir vitamina C diariamente. A vitamina C, juntamente coma ingestão de colágeno garantem a nossa pele o viço necessário para prevenção das estrias.
 
- Hidratar se também de dentro para fora, é necessário o consumo de 2 litros de água por dia.
 
- Evite banhos quentes que ressecam a pele.
 
- Atividade física moderada como, correr, nadar, andar de bike, pilates.
 
Pesquisando na net, encontrei esta figura que explica bem e de maneira simples o que são as estrias.



fonte figura: site G1

Nenhum comentário :

Postar um comentário