Colágeno

 

 

1. O que é?
O colágeno representa 25 % de toda proteína do organismo humano e é o principal componente protéico de órgãos como pele, ossos, cartilagens, ligamentos e tendões. Sua principal função é estrutural, proporciona sustentação às células , mantendo-as unidas. Fortalece os tecidos, promove elasticidade e resistência à pele , aos músculos, tendões, meniscos, ligamentos, veias, vasos e artérias, realiza a distribuição de fluídos em vasos sanguíneos e linfáticos. “No tecido cardiovascular, forma uma rede através das artérias e dá a elas um maior poder de expansão e proteção de possíveis lesões”, esclarece a especialista em Obesidade e Emagrecimento Renata Rothbarth.
 
2. Em que alimentos ele é encontrado?
As principais fontes de colágeno são os alimentos ricos em proteína de origem animal como carne, frango, peixe e ovos. Para melhorar a produção do colágeno, a dica é aumentar fontes de vitamina C presente em frutas como acerola, caju, limão, abacaxi, kiwi, morango, pêssego, folhas verdes escuras; e fontes de vitamina E, selênio e zinco como avelãs, amêndoas e castanhas.

3. Quando é importante suplementar?
Apesar de ser produzido normalmente pelo organismo desde que nascemos, estudos mostram que a partir dos 30 anos o corpo sofre uma perda gradual de colágeno de algo em torno de 1% por ano, e aos 50, passa a produzir apenas uma média 35% do colágeno necessário para os órgãos de sustentação. Renata Rothbarth explica que pessoas que têm muita exposição ao sol, estresse e cigarro tendem a iniciar este processo de perda mais cedo e que as mulheres apresentam uma quantidade menor desta proteína no corpo.

“Supõe-se que esta seja uma das principais causas do envelhecimento, uma vez que com a diminuição do colágeno os músculos ficam flácidos, a densidade dos ossos diminui, as articulações e ligamentos perdem sua elasticidade e força, e a cartilagem que envolve as articulações fica frágil e porosa”, aponta Dra. Jocelem. A deficiência de estrogênio que ocorre no sexo feminino por volta dos 45-50 anos faz com que haja uma diminuição da quantidade de fibroblastos , células responsáveis pela produção do colágeno . “Estima-se que com a menopausa haja uma perda média anual de 2% de colágeno”, explica.

É importante sempre procurar um especialista para avaliar suas necessidades nutricionais , porém homens e mulheres saudáveis acima dos 25 anos já podem iniciar a suplementação de forma preventiva. Idosos, crianças e gestantes devem obter recomendação médica.

4. Como é o consumo correto?
A quantidade recomendada pela especialista Renata Rothbarth é de 10g por dia de colágeno hidrolisado misturado a 200 ml de água ou sucos. A principal apresentação é em cápsulas ou pó — chamado colágeno hidrolisado — considerada a melhor forma porque proporciona mais saciedade e ajuda no controle de peso. As cápsulas devem ser consumidas durante as refeições e o pó (sachê), nos intervalos.

5. Benefícios para todo o organismo.
Dra. Jocelem Salgado cita pesquisas que mostram que o colágeno hidrolisado em pó contém uma série de fragmentos de proteínas que quando ingeridos são parcialmente digeridos e absorvidos, fornecendo aminoácidos fundamentais para a manutenção de ossos e a reconstituição ou regeneração de algumas articulações. “De acordo com pesquisadores da Unicamp, como o Prof. Jaime Farfan, o colágeno em pó permite que o nosso organismo mantenha uma quantidade de massa muscular adequada, ajudando o organismo a utilizar eficientemente suas reservas lipídicas e de açúcar. Além disso, é um eficiente aliado contra processos de flacidez tecidual e quando aliado a atividade física torna-se uma excelente fonte protéica capaz que sintetizar massa magra, mantendo assim o aspecto jovial do nosso corpo”, aponta.

De acordo com Renata Rothbarth, entre dois e três meses de consumo do suplemento já é possível perceber resultados como prevenção à celulite, flacidez e formação de rugas; melhor hidratação da pele, cabelos e unhas; prevenção e envelhecimento estético ; enrijecimento dos tecidos da pele; aumento da tonicidade dos músculos e auxílio no controle de peso.


6. Saúde dos ossos e articulações.
Em um artigo, Dra. Jocelem Salgado cita estudos com evidências de que a suplementação de colágeno hidrolisado apresenta benefícios para o tratamento de osteoartrites, osteoporose e prevenção de problemas articulares em atletas. Em estudos clínicos em vários países, os pacientes reportam uma redução significativa da dor. Além disso, pode-se evitar muitas vezes o uso de analgésicos e outros anti-inflamatórios.
 

7. Mitos, verdades e curiosidades.
• Mito - Reduz celulite: a celulite é resultado de um processo multifatorial, onde ocorre deficiência da circulação, retenção de água, acúmulo de gordura e processo inflamatório. Não age diretamente na celulite, mas permite que a pele tenha mais elasticidade.

• Mito - As apresentações em máscaras de gelatina (colágeno hidrolisado) deixam a pele mais bonita: a aplicação na superfície da pele não tem efeito, apenas uma ação hidratante temporária. Para apresentar os benefícios na elasticidade da pele, a gelatina deve ser ingerida.

• Verdade: não tem gordura, nem colesterol. É composto por proteína, sais minerais e água.

• Verdade: deixa as unhas mais fortes e os cabelos mais brilhantes. O colágeno é responsável pela cicatrização e regeneração dos tecidos. No caso das unhas e cabelos, ele forma uma matriz onde os minerais se fixam para deixá-los fortes, resistentes e brilhantes.

• O colágeno hidrolisado tem um efeito regenerativo em ossos e articulações. A dor da articulação pode ser reduzida com a ingestão de alimentos enriquecidos com colágeno hidrolisado. Com apenas 10g de gelatina por dia, obtém-se o fornecimento ideal desses aminoácidos tão importantes.

• Para ingerir quantidade de glicina contida em 10g de gelatina, é necessário beber, por exemplo, 3 litros de leite ou comer 160g de carne por dia.
 
Fonte: Revista Suplementação

Nenhum comentário :

Postar um comentário